bg produto quimico
banner pequeno sassmaq 1

Transporte de Produtos Químicos Perigosos

Com 20 anos de tradição, o Grupo Arizona investe constantemente em aperfeiçoar-se enquanto empresa de logística e transporte.

À experiência e às certificações SASSMAQ e ISO 9001:2015, soma-se o rotineiro treinamento das equipes de trabalho e manutenção de caminhões adequados.

O Grupo Arizona segue ainda as recomendações das boas práticas em transporte de produtos químicos.

Destaca-se que os motoristas seguem as legislações de trânsito e os requisitos de segurança.

O Grupo Arizona preza pela responsabilidade de transportar as mercadorias dos clientes e, com orgulho, registra que há mais de oito anos, não se envolve em acidentes graves de trânsito.

Além disso, para mitigar possíveis problemas ambientais relacionados a sinistros, o Grupo Arizona conta com a parceria do Grupo Ambipar, responsável pelo atendimento em situações emergenciais.

Uma vez que realiza transporte de produtos químicos, além de assegurar a segurança em todo o processo de logística, também mantém a sociedade informada sobre o serviço prestado, por meio deste site.

Essa comunicação é fundamental para garantir a transparência de suas atividades.

Transparência no transporte de Cianeto de Sódio

Atualmente, o Grupo Arizona está trabalhando na efetivação da rota de transporte de Cianeto de Sódio, saindo da Bahia e indo até Serra do Navio, que fica no estado do Amapá, região Norte do país.

Para isso, os motoristas seguirão um Rotograma Descritivo para transporte rodoviário de produtos perigosos, o qual foi elaborado por uma equipe altamente especializada nesse tipo de transporte.

Ao longo do trajeto, os caminhões irão passar pelas seguintes cidades: Feira de Santana (BA), Petrolina (PE), Picos (PI), Teresina (PI), Caxias (MA), Codó (MA), Castanhal (PA), Macapá (AP), e Pedra Branca do Amapari (AP).

A cada morador e visitante destas cidades o Grupo Arizona agradece pelo apoio recebido em rota, mesmo que seja por um curto espaço de tempo (enquanto a viagem durar), utilizando a infraestrutura da estrada.

Por isso, com o intuito de aumentar os laços com as comunidades que fazem parte de sua rota, bem como com a sociedade em geral, faz a divulgação de importantes informações sobre o Cianeto de Sódio.

O que é o Cianeto de Sódio?

O cianeto de sódio ou comumente chamado cianureto de sódio é o composto químico com fórmula NaCN.

É formado pelo sal sódico do ácido cianídrico (HCN) e soda cáustica.

A liberação do cianeto a partir dos glicosídeos cianogênicos se realiza facilmente nos laboratórios por hidrólise ácida ou alcalina.

E sua utilização concentra-se na mineração de ouro e prata, uma vez que possui a habilidade de reagir com esses metais, formando complexos estáveis em soluções aquosas.

Destaca-se que o cianeto de sódio também é útil na galvanoplastia e nas indústrias agroquímica e farmacêutica (tecidos para a área médica e fármacos).

Além disso, seus compostos ainda podem ser utilizados na manufatura de plásticos, como o náilon.

O cianeto também está presente nos processos de recobrimento de superfícies, no tratamento térmico de aços, em aplicações fotográficas e produção de borracha sintética.

O produto, que pode ser comercializado em sua forma primária – a líquida (em solução, concentrado a 35% aproximadamente), em pó ou briquetes, trata-se de um composto essencial para várias áreas da economia.

Porém, se não tiver o devido tratamento, tanto no seu uso como no seu transporte, pode ser altamente tóxico e danoso para os seres humanos, animais e todo o meio ambiente.

Transporte seguro

O Grupo Arizona preza por todas as medidas de segurança para que as pessoas e o meio ambiente em geral mantenham-se seguros durante o transporte do Cianeto de Sódio.

Contudo, é importante alertar a sociedade sobre os malefícios deste produto, caso entre em contato com uma pessoa.

Dessa forma, os malefícios que o Cianeto de Sódio em sua forma de sólido briquete pode causar, caso haja contato com uma pessoa, estão descritos abaixo:

Se ingerido, pode ser letal em função da toxicidade aguda do compósito.

Em contato com a pele, é rapidamente absorvido através da pele, causando avermelhamento, coceira, inflamação, empolação e dano no tecido.

Pode causar sensibilização alérgica em algumas pessoas dependendo da concentração e tempo de exposição.

Em contato com os olhos é extremamente irritante e tóxico, causando irritação severa, vermelhidão, dor, visão nebulosa, podendo inclusive provocar queimaduras de córnea.

Na presença de lágrimas pode ocorrer intoxicação sistêmica, demonstrando sintomas semelhantes ao descrito na seção de ingestão.

O Cianeto após ser decomposto libera o HCN e esse gás ao ser inalado, é extremamente tóxico e perigoso para a vida ou saúde.

Pode causar irritação no sistema respiratório, irritação na garganta, tosse, alteração na respiração e edema pulmonar e morte.

A exposição pode causar sintomas semelhantes aos listados em ingestão.

Medidas de primeiros socorros

As medidas a serem tomadas em caso de situações de emergência estão descritas no Plano de Atendimento Emergencial (PAE).

Todos os motoristas do Grupo Arizona também possuem uma cópia do PAE a bordo do caminhão.

Nele se encontram as orientações necessárias para a tomada de ação mais adequada de acordo com os cenários de sinistros.

Abaixo é possível conferir as principais informações sobre a conduta no atendimento ás vítimas de intoxicação por Cianeto de Sódio.

Conduta no Atendimento a Vítimas

REMOÇÃO
a) Remover a vítima do ambiente contaminado para o local não contaminado mais próximo.
b) Tomar todas as providências ou precauções para evitar sua própria contaminação durante o socorro.
c) Remover as vestes do acidentado quando se tratar de intoxicação por substâncias líquidas que contenham cianeto (CN-).
d) Colocar a vítima recostada ou deitada sobre uma superfície rígida (de preferência o solo ou maca rígida), que permita realizar as manobras de ressuscitação, se necessárias.
e) Identificar qual o grau de intoxicação da vítima para definir o uso correto dos antídotos, quando necessário.

AVALIAÇÃO
Fazer uma avaliação rápida e objetiva do grau de intoxicação usando como referência a tabela 1:

1 640w
Tabela 1 Grau de Intoxicação

Tratamento Medicamentoso

O tratamento medicamentoso baseia-se na forma natural como o organismo realiza a desintoxicação do cianeto.

O cianeto tem afinidade com o Fe +++ da Metahemoglobina (HbF3), portanto o organismo aumenta a produção de Metahemoglobina que, reagindo quimicamente com o cianeto, gera a Cianometahemoglobina, desta forma liberando a cadeia respiratória que se encontra bloqueada pala ligação do cianeto (CN-) com a enzima citocromo oxidase.

O organismo também utiliza sua reserva endógena de enxofre (símbolo químico “S”), que irá se ligar de forma irreversível com o cianeto existente na Metahemoglobina e, mais fracamente, com o cianeto existente na enzima citocromo oxidase da cadeia respiratória, gerando o Tiocianato, metabólito quase sem efeitos colaterais ao ser humano, que será eliminado pela urina na forma de Tiocianato Urinário.

Com a aplicação dos Nitritos podemos acelerar a formação da Metahemoglobina e com a aplicação do Tiossulfato de Sódio podemos aumentar o fornecimento do elemento enxofre (S), que possui uma pequena reserva no organismo humano, e desta forma diminuir muito o tempo de desintoxicação do cianeto.

Em caso de ingestão, ocorrendo inconsciência, administrar oxigênio e nitrito de amila a cada 15 ou 30 segundos, próximo à boca e nariz da vítima. Em caso do paciente estar consciente dê, logo após a ingestão, solução de carvão ativado.

Para o preparo da solução de carvão ativado misture 50g de carvão ativado em 400ml de água (aproximadamente duas xícaras) e misture bem. Ministrar 350ml para um adulto. Considere 5 ml/kg.

Não tente induzir a vítima ao vômito e jamais forneça, via oral, qualquer coisa a uma vítima inconsciente.

Procurar ajuda médica imediata levando a FISPQ do produto. Lave a boca com água em abundância.

A tabela 2 mostra o detalhamento do tratamento medicamentoso com nitrito de Amilo e a tabela 3 sem nitrito de Amilo.

2 640w
Tabela 2 Detalhamento do tratamento medicamentoso com nitrito de Amilo
3 640w
Tabela 3 Detalhamento do tratamento medicamentoso sem nitrito de Amilo

Nitrito de Amilo

No momento do processo de intoxicação, o socorrista deverá utilizar a ampola de Nitrito de Amilo, quebrando-a e aproximando 2 cm da narina do acidentado, por 5 a 15 segundos.

O efeito dura entre 3 e 5 minutos.

Após cada aplicação, o socorrista deverá reavaliar e persistindo os sintomas, aplicar outra ampola e continuar com este procedimento até que a vítima seja entregue ao médico socorrista que prosseguirá o tratamento.

Caso os sintomas desapareçam interromper a aplicação, observando as reações do acidentado.

Nitrito de Sódio

Medicamento aplicado exclusivamente sob a supervisão médica com a seguinte posologia:

  • Nitrito de Sódio a 30% (300 mg/ml): a dose necessária será de 300 mg (01 ml), diluído em 10 a100 ml de Água Destilada ou Soro Fisiológico 0,9% ou Soro Glicosado 5% por via intravenosa, lentamente entre 5 a 20 minutos, conforme a resposta da vítima. Se necessário aplicar mais 300 mg (1 ml). A dose infantil deve iniciar em 4 mg/ kg.
  • Nitrito de Sódio a 3% (300 mg/10 ml): a dose necessária será de 300 mg (10 ml), diluído em 10 a100 ml de Água Destilada ou Soro Fisiológico 0,9% ou Soro Glicosado 5% por via intravenosa, lentamente entre 5 a 20 minutos, conforme a resposta da vítima. Se necessário aplicar mais 300 mg (1 ml). A dose infantil deve iniciar em 4 mg/ kg.

Azul de Metileno

É um medicamento aplicado exclusivamente sob supervisão do médico o qual acelera o retorno da metahemoglobina à hemoglobina.

Deve ser usado quando observado cianose no indivíduo ou quando a quantidade de Metahemoglobina atinge 30% com a seguinte posologia:

  • Azul de Metileno 1%, ampola com 10 ml (100 mg). Iniciar com doses de 1 a 2 mg/kg de peso, intravenoso, lentamente, entre 5 a 10 minutos. Os efeitos deverão ser observados entre 30 a 60 minutos. Se necessário repetir a dose.

Matriz Contagem/MG

Av. Coronel Jove Soares Nogueira Nº 707
Bairro: Inconfidentes
CEP: 32.260-470

Filial São Paulo/SP

Rua 12 de Setembro, 277 – Vila Guilherme – São Paulo – SP – CEP: 02052-001

Ponto de Apoio / Serra do Navio-AP

Estrada do Tapereba, S/N
Bairro: Área Industrial da ICOMI
CEP: 68914-000

Filial Belém/PA

Estrada do Outeiro S/ N° Porto Norte Log
Bairro: Distrito Industrial de Icoarací
CEP: 668.15-902

Filial Macapá/AP

Estrada Macapá Mazagão S/N°
Porto Norte Log, Sala 5 B
Bairro: Distrito Industrial
CEP: 68.925-000

Copyright © GRUPO ARIZONA – Todos os direitos reservados.